DIETA EM ZONA DE EQUILÍBRIO HORMONAL

Por Dr. Ítalo Rachid

Alimentos são as mais poderosas drogas que existem.

Mais poderosas do que qualquer medicamento controlado ou qualquer substância de uso restrito a hospitais.

Ingeridos várias vezes ao dia ao longo de toda a nossa vida, a maioria das pessoas não tem a mais simples ideia ou consciência do que eles podem, efetivamente, representar para o nosso corpo.

De forma inicial, a cada vez que nos alimentamos, os alimentos nos fornecem, através dos seus principais componentes, que são os carboidratos, as proteínas e as gorduras, as fontes primárias de energia que nossas células utilizam para o seu trabalho diário, para a renovação, o reparo e a síntese de proteínas.

A questão é que a compreensão da fisiologia alimentar vai muito além destes conceitos. Através da ingestão de alimentos, nós podemos provocar, involuntariamente, poderosíssimas respostas hormonais, que podem afetar diretamente os processos biológicos do envelhecimento, acelerando-o ou retardando-o.

O conhecimento de que os alimentos podem interferir diretamente no envelhecimento humano, surgiu das pesquisas do Professor Barry Sears, renomado cientista americano, pesquisador do MIT, e que dedicou mais de duas décadas da sua vida ao estudo da fisiologia dos alimentos.

Suas pesquisas demonstraram que os alimentos interferem diretamente no armazenamento ou na utilização de gordura, através do controle direto na produção dos hormônios Insulina e Glucagon. Essas substâncias atuam no nosso corpo como hormônios respectivamente armazenador e mobilizador de gordura e energia.

O Professor Sears fez uma descoberta incrível.

Um dos segredos mais importantes na composição de gordura do corpo humano, ou seja, na nossa propensão a sermos gordos ou magros, não está apenas na genética ou no sedentarismo. Esta principalmente, na forma e proporções com que combinamos os alimentos.

A dieta comumente aceita e recomendada pela medicina tradicional consiste em procurarmos obter a energia que precisamos a cada dia a partir da ingestão de 70% de carboidratos, 15% de proteínas e 15% de gorduras.

Ocorre que, ao ingerirmos qualquer porção de alimentos no padrão 70/15/15, o organismo humano produz como resposta imediata excesso de Insulina e insuficiência de Glucagon.

A consequência é que todas as pessoas que se alimentam com estas proporções e desta forma, irão, inevitavelmente, desenvolver um processo crônico e ininterrupto de armazenamento de energia na forma de gordura, que denominamos de lipogênese.

Daí, pela falta de compreensão da fisiologia, quase todas as pessoas que se submetem a regimes e dietas restritivas, acabarão por sucumbir às desordens hormonais internas e voltarão a engordar.

Deste modo, quebra-se com este novo conhecimento o importante paradigma de que dietas, restrições, proibições ou contagem de calorias resolvam os problemas de sobrepeso e obesidade.

Na realidade, o controle do armazenamento ou utilização de gordura no corpo humano e, por conseguinte, do nosso peso, reside no conhecimento e aplicação clínica da fisiologia hormonal.

As pesquisas do Professor Sears revelaram que somente quando reduzimos, em todas as refeições, a ingestão de carboidratos de 70 para 40% e duplicamos a ingestão de proteínas de 15 para 30% e de gorduras de 15 para 30%, ou seja, somente com o padrão diário de ingestão mudando de 70/15/15 e passando para 40/30/30, é que o corpo humano consegue baixar os níveis de Insulina e elevar os níveis de Glucagon, o hormônio responsável pela mobilização e queima de gordura.

Este novo conceito chama-se Dieta Metabólica ou Dieta em Zona de Equilíbrio Hormonal.

“ZONA” não é nenhum lugar místico ou imaginário.

É um estado real e fisiológico, que pode ser cientificamente medido e quantificado.

Entrando “EM ZONA” , seus hormônios serão conseqüentemente balanceados, fazendo com que o seu organismo passe a funcionar em nível máximo de equilíbrio metabólico, queimando continuamente os estoques de gordura, ou invés de armazená-la.

OBJETIVOS DA DIETA EM ZONA DE EQUILÍBRIO HORMONAL:

* Reduzir o excesso de gordura corporal.
* Eliminar a sensação de fome.
* Eliminar a sensação de fadiga.
* Eliminar a compulsão por açúcares e doces.
* Manter o pico de energia e performance durante todo o dia.
* Elevar a capacidade de reposta ao esforço físico.
* Aumentar a capacidade de trabalho e a produtividade.
* Otimizar a Modulação Hormonal Masculina e Feminina.
* Alcançar o máximo de saúde e bem estar, e, principalmente, desacelerar de forma consistente o processo de envelhecimento humano.

Breve currículo do Dr. Italo Rachid

  • Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia e pela Associação Médica Brasileira;
  • Ex-Delegado da Sociedade Brasileira de Climatério – SOBRAC;
  • Formação em Medicina Anti-Aging pelo American Board of Anti-Aging Medicine;
  • Formação em Medicina Anti-Aging pela Harvard University Graduate School of Philosophy and Education;
  • Membro Diplomado da American Academy of Anti-Aging Medicine;
  • Membro Diplomado da International Hormone Society;
  • Membro Diplomado da World Society of Anti-Aging Medicine;
  • Membro da Life Extension Foundation – USA;
  • Formação em Age-Manegement Medicine pelo CENEGENICS Medical Institute – USA;
  • Professor do Mester em Ciências do Anti-Aging e Fisiologia da Longevidade Humana da Universidade Anhembi Morumbi;
  • Professor do Master em Ciências do Anti-Aging da Universidade Paulista – UNIP;
  • Coordenador do Núcleo de Fisiologia do Envelhecimento da Universidade Paulista – UNIP;
  • Membro do Editorial Board do Journal of Health and Biotechnology;
  • Pesquisador do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia – IFET-CE;
  • Pesquisador DTI-3 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico -CNPq;
  • Delegado Internacional da World Anti-Aging Academy of Medicine – WAAAM;
  • Membro do Advisory Board da World Anti-Aging Academy of Medicine;
  • Introdutor da Medicina Anti-Aging no Brasil;
  • Palestrante Internacional.

Prêmios e Títulos

  • 2009 CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DA SAÚDE NO BRASIL, Análise Editorial e Análise Saúde
  • 2009 DOCTOR OF THE YEAR 2009, AMERICAN ACADEMY OF ANTI-AGING MEDICINE
  • 2009 OS MAIS ADMIRADOS DA MEDICINA BRASILEIRA, Análise Editorial e Análise Saúde
  • 2008 CONTRIBUIÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DA SAÚDE NO BRASIL, Análise Editorial e Análise Saúde
  • 2008 MAN OF THE YEAR IN MEDICINE AND HEALTHCARE 2008, American Biographical Institute – USA
  • 2008 OS MAIS ADMIRADOS DA MEDICINA BRASILEIRA, Análise Editorial e Análise Saúde
m4s0n501

6 Comments:

  1. Muito interessante!!!!!
    São por essas e outras que acho que o ser humano ainda tem recuperação.
    Informações como estas jamais chegariam até nós se não existissem pessoas como vocês.
    Moro em Araxá, no interior de Minas e, infelizmente, mesmo pagando, nunca alcançamos informações desse nível.
    Parabéns pela iniciativa.
    Continuem. Vocês não fazem idéia de como nos ajudam.
    Bjs

    • Olá Claudia,
      Eu sou de Minas e conheço Araxá, uma linda cidade. Você tem razão, morando no interior às vezes nos sentimos meio isolados dos acontecimentos. Felizmente com a Internet isso não acontece mais. Não há dúvida de que ela é uma faca de dois gumes, que tem também informações erradas e superfluas mas se soubermos distinguir temos muito a aprender.
      Obrigada por participar,
      MC

  2. Pergunte ao italo rachid o que significa exatamente fazer parte desse seleto grupo de membros da Life Extension Foundation. E depois, ligue ou mande um email vc mesmo (a) para tal Foundation (facil de ver na internet & Google tradutor). Este é, na verdade, um clube de compra de suplementos alimentares, do qual qualquer um pode fazer parte, desde que pague U$75.00 por ano.

    E aproveita, pergunta tb sobre a Harvard. Detalhe, a Harvard não tem, nunca teve, nenhum curso de formação em medicina anti-aging. Nem tão pouco está ou esteve, de alguma forma, afiliada com o tal conselho de medicina anti-aging. Para confirmar, vc pode ligar tanto para o conselho no telefone 00(xx) 1 561-997-0112. Ou tb para a Harvard Graduate School of Education 00 617-495-3414.

    Depois disso, páre e pense. Atrás do rótulo de medicina preventiva, dietas saudáveis (nada de errado com elas), está uma indústria milionária de hormônios. Note que Italo Rachid apenas usa dados estatísticos e informações sobre prevenção e nutrição, com a finalidade de tornar mais atraente, a palatével, a idéia de modulação hormonal.

    Para aprender mais sobre modulação hormonal, leia este relatório do FDA (organização que controla o consumo de medicamentos alimentos nos Estados Unidos http://www.fda.gov/ForConsumers/ConsumerUpdates/ucm049311.htm

    Sempre que possível, tente avaliar quais são os verdadeiros interesses de pessoas que fazem a propagação de tecnologias ou tratamentos inovadores. Neste caso, o risco do uso de hormônios não é a curto prazo. Os efeitos (especialmente cancer) só aparecem depois de muito tempo.

    Assim, fique atento, informe-se!

    • Olá Marcos,

      Vamos por partes:

      Sobre o Life Extension, o Dr.Italo apenas cita que faz parte. Ele não está inventando nada sobre isso. “The Life Extension Foundation® exists to provide its members with information and access to the things they need to live healthier and stay younger longer. The annual membership fee is used to support ongoing innovative research to find cures for the diseases of aging…” – Assim esta filiação é uma forma da pessoa se manter atualizada, o que não depõe em nada contra ela.

      Com relação à Harvard, lá tem sim cursos ligados à questão do envelhecimento, basta olhar no site deles, mesmo que não tenha exatamente o nome “anti-aging”.

      Com relação ao FDA, estou lendo um livro do Kevin Trudeau – “Natural Cures” – contando coisas muito interessantes, inclusive sobre como eles monopolizam o mercado e cobram literalmente uma fortuna para aprovar um novo medicamento mesmo se ele for bom e livre de efeitos colaterais. Assim, para mim, o FDA não é nenhum dono da verdade. Aliás foram eles que aprovaram medicamentos como o Viox, que matou algumas pessoas , mesmo sabendo que tinha havido problemas nos testes. Eles lançaram o remédio sabendo que poderia dar problemas mas não queriam perder o dinheiro que havia sido investido nele.

      Concordo com você que a indústria de medicamentos é uma máquina de fazer dinheiro, e que todos nós temos que estar atentos. Por outro lado alguns remédios são essenciais para se sobreviver a alguma doença, e alguns suplementos realmente ajudam.

      Quanto a vender a idéia da modulação hormonal, o Dr. Italo, como médico que faz uso da modulação e é apaixonado pelo assunto deveria dizer o que? Que não é bom? Nós que usamos hormônios bioidênticos sabemos que ele não tem os efeitos colaterais desastrosos da reposição tradicional, pois sentimos seus benefícios em nós mesmos . Eu acredito naquilo pelo qual sinto sintonia e sobretudo pelo que experimento.

      Acho que vc também pode se informar melhor.

      Muito obrigada por tomar seu tempo nos escrevendo e partilhando suas opiniões.

      Abraço,
      MC

  3. Concordo com vc que o ‘apenas’ o parecer do FDA não deve servir de decisão final. Porém o parecer do FDA tem sido analisado e endorsado por inúmeras organizações de saúde, com o conhecimento de métodos científicos para fazê-lo apropriadamente.

    Qto aos hormônios bioidênticos e manipulações, existem métodos científicos para se avaliar evidência científica dos mesmos, como a “revisão sistemática” e “meta-análise”, os quais extrapolam o escopo deste comentário, e sobre os quais eu sugiro, os proponentes de tal prática a pesquisar e aprender.

    Se tais profissionais e tb os leigos no assunto, não têm condição de aprender, implementar métodos científico para avaliação e recomendação de qualquer medicamento ou protocolo, que procurem então quem possa fazê-lo.

    Embora a lista abaixo não represente uma lista completa e compreensiva de toda informação sobre o assunto, será com certeza uma fonte interessante. Antes, apresento aos leitores a citação de Oliver Wendell Holmes, que se aplica perfeitamente aqui:

    “A pseudo-science consists of a nomenclature, with a self-adjusting arrangement, by which all positive evidence, or such as favors its doctrines, is admitted, and all negative evidence, or such as tells against it, is excluded. It is invariably connected with some lucrative practical application.”

    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2219716/
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15167316
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17627398
    http://www.menopause.org/bioidenticalHT_Endosoc.pdf
    http://www.nia.nih.gov/HealthInformation/Publications/preventaging.htm
    http://www.nia.nih.gov/NR/rdonlyres/E50A04DC-BDA8-4CF3-AE7E-82C2B5F94C90/15120/CanWePreventAging.pdf
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21427420
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21531972
    http://www.menopause.org/Patsnertranscript.pdf

    • Oi Marcos,
      Esta lista de links que vc mandou é muito interessante e eu já havia lido tudo que está aí. Sem dúvida, quando vamos usar algo devemos ler os prós e os contras, e munidos da informação mais abrangente possível, tomar uma decisão.
      Eu tentei reposição hormonal convencional por uma semana e parei por causa de sérios efeitos colaterais. Uso hormônios bioidênticos há 3 anos e me sinto ótima. Tenho certeza absoluta de que os hormônios são fundamentais para manter a saúde. Além do mais faço exames periodicamente para acompanhar o tratamento, que é o que todo mundo tem que fazer.

      Os pacientes estão sempre no meio de uma guerra de opiniões. Pesquise sobre homeopatia. Vc vai ler as coisas mais absurdas, as críticas mais ferrenhas. Mas eu me trato com homeopatia há mais de 20 anos. Ela me salvou a vida. E agora estou fazendo uma faculdade de medicina homeopática. E mesmo que não só alguns, mas todos os sites ou médicos convencionais, além dos sites bancados por laboratórios, dissessem que ela é “uma farsa”, eu continuaria estudando e usando, porque eu A CONHEÇO. E sei que é maravilhosa.

      Assim também com os hormônios. Você já estudou os hormônios bioidênticos? Já os experimentou? Porque defende tanto os laboratórios? Vc trabalha para eles? Sim, porque antes da instituição “laboratório” aparecer no mundo, o que havia eram pessoas que faziam os remédios, ou seja, farmácias de manipulação, que são perfeitamente capazes de fazer medicamentos.

      Na sua frase em inglês, quando a pessoa fala de pseudo-ciência, o que ela chama de “verdadeira ciência”? O que os laboratórios fazem? Para mim toda esta guerra não significa nada. A única coisa que importa é que pessoas possam ser beneficiadas, usando produtos que as façam se sentir bem e viver com saúde. Se for “pseudo-ciência’ e me fizer bem, estou usando, porque o que importa não é o nome, mas a verdade que está atrás dele.

      Até mais,
      MC

Deixe uma resposta