Historia da Homeopatia e Seus Principios de Cura

Historia da homeopatia

A homeopatia é às vezes vista como algo complexo ou misterioso, mas, se compreendida, faz todo o sentido do mundo. Basta ler a rica historia da homeopatia e compreender seus princípios, para ver que ela não algo aleatório que apareceu de um dia para outro. Seu criador dedicou 50 anos da sua vida à sua prática.

Seus seguidores no mundo todo (incluindo seus contemporâneos) a testaram e prescreveram a milhares de pacientes com excelentes resultados nos últimos duzentos anos. Todos os remédios homeopáticos foram testados e seus resultados foram sempre os mesmos, fato que estabelece uma verdade científica.

Pilares da Homeopatia

Os mais importantes pilares da homeopatia são: cura pelo similar, mínima dose, potentização e diagnóstico baseado na totalidade dos sintomas, incluindo os de ordem mental e emocional. Remédios homeopáticos não são testados em animais e nem em pessoas doentes.

Dr. Samuel Hahnemann

Samuel Hahnemann

A Homeopatia foi desenvolvida por um medico Alemão, Dr. Samuel Hahnemann (1755 -1843). Após iniciar sua prática em medicina convencional, ele percebeu que o uso de drogas em altas doses faziam mais mal do que bem para os pacientes, causando mais mortes do que as doenças em si.

Por não concordar com isto e não ter ainda uma solução, ele decidiu parar de clinicar. Mas como ele tinha que prover para sua família, dedicou-se à tradução de livros para sobreviver. Ele tinha uma inteligência excepcional, e falava seis idiomas.

A cura pelo semelhante sempre existiu

Tendo uma mente inquiridora e sendo muito observador ele percebeu que o princípio da cura pelo semelhante não era um evento ocasional e arbitrário, mas sim uma verdadeira lei da natureza. Naquela época, como hoje, a medicina convencional usava o sistema da Cura pelo Contrário, embora o princípio da Cura pelo Similar fosse usado por grandes médicos como Hipócrates (que acreditava em ambos os princípios) e pelo grande alquimista Paracelsus que defendia apenas o princípio da Cura pelo Semelhante. Hahnemann observou que a sabedoria popular também usava este princípio, e entre vários exemplos, ele cita o uso da cura de frostbite com chucrute gelado.

Assim sendo, o princípio da cura pelo similar já havia sido notado e usado antes, mas coube a Hahnemann perceber sua importância e magnitude, e criar um processo científico para comprovar sua validade.

Confirmação da cura pelo semelhante

Historia da homeopatia - Quina

Em 1670, ao traduzir um livro de Medicina, ele tomou conhecimento sobre o uso da Quina (Peruvian bark) para o tratamento de malária. Segundo o autor, a Quina curava a malária por ter propriedades amargas e adstringentes.

Ao ler tal informação, Hahnemann viu que ela era incorreta, pois se estas propriedades eram as responsáveis pela cura, toda e qualquer outra planta que fosse amarga e adstringente, também serviria para curar esta doença. Hahneman percebeu que se a Quina podia curar a malária não era porque ela tinha tais propriedades, mas sim, porque ela deveria ser semelhante à doença.

Para provar isto ele decidiu testar em si mesmo, e começou a tomar doses diluídas de Quina. Ao tomar, ele desenvolvia os mesmos sintomas das pessoas com malária: febre, dor nas juntas, tonturas, aceleração das batidas cardíacas e tremores. Após duas ou três horas o efeito passava e ele ficava novamente bem.

A partir daí ele deu a Quina para várias pessoas que se ofereceram para o teste (todas saudáveis) e todas desenvolveram os mesmos sintomas. Estava provado o princípio da cura pelo semelhante. Nos anos em que se seguiram várias drogas foram experimentadas, e seus efeitos físicos e mentais/emocionais catalogados, trazendo à luz novos remédios homeopáticos.

A dinamização faz toda a diferença

dinamização homeopática

Mas o melhor estava por vir: a dinamização dos remédios. Hahnemann obteve muito bons resultados com as doses mínimas e cura pelo semelhante, mas ainda faltava alguma coisa. Naquela época, descobertas sobre transmissão de energia e campos eletromagnéticos eram novidades nas quais todos estavam interessados.

Hahnemann percebeu que ao triturar e agitar (sacudir vigorosamente) uma substancia, ela liberava energia dinâmica e curativa. Ele deu a este processo o nome de dinamização. Ele passou a dinamizar todos os remédios, e a obter curas espetaculares.

Dr. Hahnemann viveu até os 88 anos, e alguns anos antes da sua morte, viveu o auge do sucesso. Aos oitenta anos ele se casou pela segunda vez com uma mulher mais de quarenta anos mais jovem que ele. Ela era sua paciente e se tornou sua mais dedicada aluna, ajudando-o em sua prática.

Ele viveu seus últimos anos de forma brilhante, como o médico homeopata de toda a nobreza Parisiense, e atendendo de graça, junto com sua esposa, a todos os pobres que faziam fila na porta da sua casa.

Historia da  Homeopatia no Brasil

 

O Brasil foi um dos países pioneiros no uso da Homeopatia, graças ao Homeopata Francês, Dr. Benoit Mure, que morou no Rio de Janeiro. Ele era contemporâneo de Hahnemann, com o qual trocava correspondência. Mure fundou o Instituto Homeopático em 1843, e em 1845 foi fundada a primeira Escola Homeopática do Brasil. O primeiro médico homeopata Brasileiro foi o Dr.  Domingos de Azeredo Coutinho de Duque-Estrada. Hoje contamos com aproximadamente 40.000 médicos homeopatas.

Oposição

A homeopatia sofre oposições? Sim, com certeza. E não poderia ser diferente neste mundo em que vivemos, um mundo onde grandes laboratórios lucram quantias fabulosas com seus remédios que não curam, e que apenas agem de forma paliativa. Porque eles iriam querer curar? Eles preferem receber seu dinheiro todo mês, ano após ano.

Todas as medicinas têm o seu valor, mas todos conhecemos casos de erros e descaso médicos, como aconteceu com uma paciente minha, uma linda jovem de 22 anos. Ela teve uma crise de ansiedade num momento de muito stress – algo absolutamente normal, mas ao ir ao médico foi diagnosticada com depressão.

Deram a ela um remédio violento e ela começou a ter visões e tremores involuntários. A mãe levou-a de volta ao médico, e a internaram. Sabe que tratamento deram a ela? – Choques elétricos. Eu li a bula do primeiro remédio, e alguns dos sintomas descritos ali são justamente visões e tremores involuntários. Como é que o médico não conhecia os efeitos colaterais do remédio que ele mesmo prescreveu e mandou a garota para um hospital psiquiátrico? Ao sair do hospital, os tremores continuaram, além do pavor e trauma por ter ficado naquele lugar.

Com dois remédios homeopáticos ela voltou ao equilíbrio, as crises de pânico passaram, assim como os tremores. Ela é ainda uma pessoa de extrema sensibilidade pois esta é sua natureza e nenhum remédio muda a natureza de ninguém. Porém com o amadurecimento natural e o remédio homeopático repetido quando necessário, o equilíbrio pode ser obtido.

Porque a Homeopatia funciona

 

historia da homeopatia resultados

É verdadeiramente intrigante tomarmos uma pequena dose dinamizada e obtermos uma melhora ou cura definitiva. Mesmo vivendo num mundo futurista, muitas pessoas ainda não se acostumaram com o conceito de um remédio “dinâmico” e capaz de afetar a energia vital. Hahnemann observou que todas as doenças têm uma característica básica energética, e que portanto somente um remédio com a mesma característica poderia trazer uma real cura.

Remédio homepático – Analisando seus efeitos

Ao fazer um tratamento homeopático mais de um remédio pode ser necessário, e isto é natural já que um remédio que cubra todos os sintomas de um certo paciente nem sempre existe. Quando há um grande número de sintomas é necessário trabalhar por camadas, e mais de um remédio deve ser dado, um de cada vez, de acordo com a Homeopatia Clássica. Em casos agudos em geral a melhora é imediata e sem agravamentos.

Ao se tomar o remédio homeopático, pode haver alguma temporária intensificação dos sintomas. Neste momento muitas pessoas desistem dizendo: “este remédio me fez mal”. Que pena! Este pequeno agravamento é em geral um ótimo sinal, um sinal de que o remédio está ativando o processo de cura, e limpando o organismo. Nesta parte do tratamento é preciso avaliação para definir o caminho a seguir: mudar a potencia, complementar com outro remédio, ou simplesmente esperar e dar tempo para que o corpo reaja ao estímulo que foi dado.

O mais comum é que esta breve intensificação do sintoma seja seguida de melhora ou cura, mas só o homeopata vai saber distinguir, através da reavaliação do caso. Por esta razão eu ofereço dois retornos gratuitos, dando ao meu paciente a oportunidade de tirar suas dúvidas e de ter seu caso devidamente acompanhado.

Este post não pretende curar doenças ou receitar remédios. Seu propósito é unicamente educacional.

Sugestão de leitura “... Dizendo Não à Industria da Doença

Maria de Lourdes Couto Alves
Homeopatia Clássica – Atendimento via Skype
Registro 15222 no College of Homeopaths of Ontario – Toronto – Canada

 

 

 

 

 

3 Comments:

  1. Boa noite! Tenho renite crônica qual medicamento poderia estar útilizando? Aguardo Gisele

    • Cara Gisele, para problemas agudos (que são recentes e que não são crônicos) é possível tomar homeopatia sem maiores estudos do caso. Porém para casos crônicos como o seu, só mesmo fazendo uma consulta e estudando em detalhes.

      Sem dúvida homeopatia é muito bom para esse tipo de problema – mas só mesmo com consulta. Veja se a Almeida Prado tem um composto para isso – mas não é garantido que funcione, já que é um remédio que vc compra na farmácia, sem estudo individualizado.

      Boa sorte,
      MC

    • Cara Gisele,
      Doenças crônicas precisam de um estudo detalhado para se achar o remédio homeopático. Faça uma consulta com um homeopata (clássico, unicista) e deverá resolver o seu problema.

      Boa sorte,
      MC

Faça seu comentário